terça-feira, 24 de outubro de 2017

Ineficiência brasileira - a criação de empregos inúteis

Ao longo da história do Brasil, viramos especialistas em criar empregos inúteis. Então sabem aqueles empregos que a tecnologia vai extinguindo com o passar do tempo, contribuindo pra cortar custos e focar em outros setores? Eles continuam existindo por aqui e temos vários exemplos:

Quem já foi pros Estados Unidos ou pra Europa sabe: lá você mesmo abastece seu carro, as bombas são 100% automáticas e um posto de combustível costuma ter no máximo 2 funcionários, que ficam na loja de conveniência.

Já aqui no Brasil, uma lei sancionada pelo demagogo e parceiro de longa data do Lula, Fernando Henrique Cardoso, proíbe bombas de autosserviço no território nacional.

Qual a consequência dessa obrigatoriedade? Temos hoje cerca de 500 mil frentistas no país custando,  em média, R$2.500 cada um. É óbvio que isso impacta no custo do combustível, então o que vemos é o governo onerando toda a população, visando criar empregos artificiais, de baixíssima necessidade de qualificação e que, em geral, são totalmente dispensáveis.


Olha só, as pessoas de fora têm capacidade de abastecer seu próprio carro!


Outra coisa que se vê muito pouco fora do país são cobradores de ônibus. Não achei dados pro Brasil todo, mas só na cidade de SP são 20 mil cobradores. Se estimarmos um custo médio de 2 mil reais cada um, temos aí um gasto de R$40 milhões por mês. Será que não daria pra baixar a passagem dos atuais R$3,80 pra uns R$3,50?

Além disso, temos diversas profissões que acabaram sendo criadas por necessidade do nosso país, como por exemplo o porteiro, que até existe fora do país, mas que se proliferou no Brasil de uma forma que parece ser alguém essencial, mas que só existe na realidade por causa da violência endêmica que assola o país.

E aí temos as "profissões". No nosso país onde todos têm direitos, mas ninguém tem dever, a omissão do Estado permitiu que pessoas desempregadas, moradores de rua e bandidos criassem seus próprios empregos. Empregos esses, que acabam desestruturando a base da sociedade.

Vamos a um exemplo: no Rock in Rio, uma chef aparentemente famosa foi obrigada a jogar fora 1 tonelada de comida por não atender às exigências da Vigilância Sanitária do RJ. Ela estimou prejuízo de 400 mil reais. Ao mesmo tempo, assim que você saía do evento, via diversas barraquinhas de cachorro quente na rua, sem a menor higiene e totalmente clandestinas. Onde estava a Vigilância Sanitária nessa hora?

O que dizer então dos catadores, passando com aquelas carroças, atrapalhando o trânsito, rasgando sacos e espalhando o lixo por onde passam? Sim, isso também é profissão legalizada aqui no Brasil. Mais uma jabuticaba: coisas que só vemos por aqui.


Cena típica de um carroceiro travando o trânsito.

Mas de todos os exemplos, o que mais me tira do sério é o de flanelinha. Mais comum em grandes centros, um flanelinha nada mais é do que um criminoso com autorização do Estado pra te extorquir.

Acreditem ou não, mas existe uma lei federal de 1975 que regulamenta a profissão de guardador de carro, mediante cadastro prévio. Não consegui achar o nome do bandido que criou essa lei, mas ela foi sancionada pelo então presidente Geisel.

Essa é o fim da picada: o cara te cobra pra, literalmente, ficar olhando o seu carro. Guardando-o do que? Ninguém sabe, mas ainda assim eles se sentem no direito de cobrar por você parar na rua. Já vi de tudo: flanelinha com preço fixo, com plano mensal, flanelinha-manobrista, os que aceitam cartão.



E tudo isso é culpa sua sim. Você não deveria se deixar ser extorquido por um vagabundo que fica o dia inteiro roubando os outros num ponto fixo. Você deveria reagir. Não, não deixe pra lá, é o seu direito de ir e vir que está sendo cerceado, você está sendo ameaçado e roubado em plena luz do dia.

O que está acontecendo é que a liberdade cada vez maior que a própria sociedade está oferecendo a indivíduos que vivem de parasitismo está nos destruindo. Cada vez mais o cidadão de bem é onerado por todos os lados e continua sem esboçar reações, especialmente no campo da política, sem cobrar os vereadores, deputados, prefeitos da sua cidade e votando como se as eleições fossem um Big Brother nacional.

Por isso que somos ineficientes, por isso que tudo que vem de fora é mais barato, por isso que nosso país não consegue exportar nada com valor agregado. Nossa base já está completamente quebrada.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

CDB Liquidez Diária - 103,5% do DI

Há alguns dias o Banco Pine passou a oferecer um CDB com liquidez diária a 103,5% do DI.

Para investir nele, basta baixar o aplicativo do banco e fazer o cadastro.

Ótima oportunidade pra rentabilizar melhor a reserva de emergência e uma alternativa pro Sofisa Direto, que muitos já usam há bastante tempo.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Romero Jucá - o político que joga contra o Brasil

Vamos aos fatos:

1) Propõe taxação sobre diversos produtos de investimento

http://www.valor.com.br/financas/4360866/parecer-sobre-mp-altera-tributo-de-investimentos-partir-de-janeiro

Vejam só que proposta mais inútil: ele propôs aumentar o imposto sobre todos os produtos que fomentam o ramo imobiliário nesse país, desde FII, CRI, LCI e até a coitada da LIG que ainda nem tinha sido regulamentada.

Lembrando que o principal propósito da criação das LIGs era obter mais recursos no mercado de imóveis, dada a escassez de crédito que temos acompanhado nos últimos 3-4 anos.

Em resumo: o cidadão queria simplesmente acabar com o sonho da casa própria de todos os brasileiros.


2) Legisla por interesses próprios

https://brasil.elpais.com/brasil/2016/05/23/politica/1464031365_583264.html

Essa é sensacional:

"Jucá tem em seu currículo um projeto de lei que regulamente a mineração em terras indígenas. A proposta foi duramente criticada por ambientalistas e pelas comunidades nativas, e alguns acusaram o peemedebista de legislar em causa própria, já que sua filha Marina Jucá é sócia da Boa Vista Mineração, que em abril de 2012 solicitou ao Governo autorização para extrair ouro em terras indígenas."

3) Você ficou desempregado com a crise? Está endividado? Problema é seu

https://g1.globo.com/politica/noticia/juca-diz-que-r-2-bilhoes-nao-e-demais-para-se-ter-democracia-no-brasil.ghtml

A primeira proposta do nosso amigo foi de destinar R$3,5 bilhões pro tal fundo parlamentar, mas essa frase dele eu achei demais:

"Agora, R$ 2 bilhões não é demais, ainda mais se abrindo mão de dotações do Congresso, não é demais para se ter democracia no Brasil”


Certinho, 2 bilhões hoje em dia não valem mais anda.

4) Atua contra os interesses do país

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/05/1774018-em-dialogos-gravados-juca-fala-em-pacto-para-deter-avanco-da-lava-jato.shtml

Áudios ridículos, falando em estancar a sangria e parar a operação Lava Jato onde está.

Um perfil rápido dele:

Senador desde 1994, cumprindo atualmente o 3º mandato, todos por Roraima, já foi acusado de desviar verba da assistência social desse Estado e de desviar dinheiro de obras de construção civil também do mesmo lugar.

Foi exonerado do cargo de Ministro da Previdência Social em 2005.

Pediu exoneração do cargo de Ministro do Planejamento em 2016, depois da divulgação do áudio acima.

E ainda assim - e essa é a melhor parte de todo esse post, nas eleições de 2010:

- o Romero Jucá foi o senador mais votado de RR;

- a sua então esposa foi a deputada federal mais votada do RR;

- o filho dele foi o segundo deputado estadual mais votado, também no RR.

E em 2016, a hoje ex-esposa dele foi eleita prefeita de Boa Vista.

Está aí um caso típico do Brasil: apesar de o político ter diversos casos de escândalo de corrupção e desvio de verbas, o povo continua o elegendo e pior, elegendo os seus parentes. Aí um cara desses vai pra política nacional, onde consegue fazer mal ao país inteiro de uma só vez.


Tudo porque sua família controla um estado inteiro, assim como a família Sarney controla o Maranhão.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Déficits até 2020 vão reverter o superávit de toda a Meta Fiscal

Há uns meses tivemos a péssima notícia de que o governo havia proposto uma piora generalizada nos resultados primários até 2020.

Pois bem, o Congresso aprovou os resultados e agora é oficial: devemos ter grandes rombos nas nossas contas até 2020, ou seja, não apenas abrimos mão de conseguir atingir a meta nesse ano (que já era bem negativa, de R$139 bilhões), como já chutamos o balde e admitimos um acúmulo de meio trilhão de reais de déficit entre 2017 e 2020.

Pra termos uma ideia do tamanho do estrago, desde 1997 até 2013, tivemos um superávit primário acumulado de R$800 bilhões. De 2014 a 2020, contando com as novas previsões, estima-se um déficit primário acumulado de R$820 bilhões.

"Ah, mas e daí que o governo gasta tudo isso?"


Quando um governo gasta mais do que arrecada, ele se financia através da emissão de títulos de dívida, como o Tesouro Direto. E qual o grande problema disso?

Primeiro que quem financia o governo vai cada vez mais exigindo taxas maiores, afinal está emprestando pra um país cada vez mais endividado. A consequência disso é um aumento na taxa básica de juros, que vai minando a atividade econômica do país.

Segundo que, uma hora, após sucessivos déficits como é o nosso caso, ninguém mais quer emprestar dinheiro e aí o governo tem que financiar seus gastos imprimindo mais moeda, o que gera inflação, a grande vilã da economia.

Então é basicamente essa a herança que temos dos anos de governo do PT e, especialmente do governo Dilma, que nos atrasou economicamente em pelo menos uns 10 anos: gastos obrigatórios extremamente altos e receitas decrescentes, devido ao tombo absurdo do nosso PIB nos últimos anos.

sábado, 9 de setembro de 2017

LIG - novo produto financeiro

O CMN finalizou a regulamentação do mais novo produto financeiro do mercado brasileiro: as Letras Imobiliárias Garantidas.

Principais pontos:

1) isentas de IR para PF;

2) remuneração poderá ser sobre o CDI, prefixada ou atrelada a um índice (IPCA, IGPM);

3) o texto não menciona garantia do FGC;

4) as garantias seriam o banco emissor e, em caso de falência do mesmo, os empréstimos que lastreiam a LIG.

Então basicamente o novo título será uma CRI com mais segurança ao investidor, já que em caso de quebra do banco, o investidor não entra em nenhuma fila para receber o que tem direito, simplesmente passa a deter os recebíveis dos empréstimos que o banco fez.

Ela foi criada pra ser mais um instrumento voltada a captação imobiliária, já que, dado os preços ridículos de imóveis no Brasil, os atuais instrumentos já não estão mais dando conta da demanda de crédito, o que causa um aumento no spread bancário e uma dificuldade maior pra conseguir um financiamento pra casa própria.

Um conhecido meu foi no Itaú e na Caixa tentar financiar um imóvel de R$500 mil. O salário dele é de R$7 mil. Ambos os bancos exigiram que ele desse uma entrada de 70% do valor do imóvel. Ele perguntou quanto precisaria ganhar pra financiar 80% do valor e disseram pra ele: R$25 mil.

Quantas pessoas ou famílias vocês conhecem com uma renda dessas? Ninguém mais está conseguindo financiar nada, então acredito que o novo produto vem em boa hora, mas espero que tenha remunerações de acordo, pois não adianta nada lançarem pra ser igual aos CRIs, com taxas abaixo de muitas LCIs e risco muito maior.

Pra ser interessante, acredito que a LIG deveria pagar algo entre 97~101% do CDI.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Garde D'artagnam reabriu!!

Impressionante como as coisas acontecem ao mesmo tempo.

Em janeiro eu podia escolher entre o Adam Macro ou o Garde Dartagnam.

Depois de fazer uma análise bem minuciosa sobre os 2, acabei optando pelo da Adam, mas com muita certeza de estar deixando de aplicar num fundo de primeira qualidade.

Pois bem, agora a Adam está pra lançar um fundo novo, o Strategy, no mesmo instante que o Dartagnam está reabrindo pra captação.

São fundos com ticket de entrada bem alto, então não dá pra entrar nos 2.

Pois bem, vou aplicar no Dartagnam dessa vez, até pra fazer uma diversificação de gestor. Seguem informações do fundo:

Entrada mínima: 50k
Objetivo: CDI + 5-7,5%
Rentabilidade histórica: 70% ou 146% do CDI em 3 anos e meio
Patrimônio atual: R$3,5 bi

Enfim, sigo na busca por alternativas de investimento que me possibilitem manter minha média esperada de rentabilidade de 10% a.a.. Com a queda da taxa de juros isso está cada vez mais difícil, então o jeito é arriscar um pouco mais.

Os fundos multimercados não estão indo bem nesse ano, o próprio Adam Macro é um exemplo, pois desde que eu apliquei, em janeiro, ele rendeu míseros 1%, porém, tudo isso se deve ao momento turbulento do país, com acontecimentos inesperados a todo instante.

Tenho certeza que quem tiver paciência e mantiver fundos de qualidade por uns 10 anos, vai pelo menos triplicar seu patrimônio.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Novo Fundo - Adam Macro Strategy

Dia 30/06 começa a captação no novo fundo da Adam Capital.

Os 2 principais fundos da casa hoje já estão fechados para novas captações.

O diferencial do Strategy em relação aos outros é que ele não terá atuação no mercado de juros locais (o principal fundo da casa, o Adam Macro, foi fechado justamente por já ser grande demais pro nosso mercado).

Uma ótima notícia é que ele será tocado pelo Márcio Appel, não sendo delegado a outras pessoas como nos fundos da Verde Asset.

A princípio a volatilidade será um pouco alta, tornando-o um fundo mais arriscado.

Ticket de entrada é 50k.

Mas enfim, dado o histórico do gestor e a nossa crise sem fim, acho uma ótima ideia um fundo top focado no exterior. Vou entrar com certeza.